Pessoal, por Alice

Para sempre Frida

outrama

O dia 21 de março de 2011 foi inesquecível para mim. Ao voltar do trabalho, conheci uma gatinha abandonada na garagem do prédio onde moro. Ela estava há três dias por lá, contando com a solidariedade dos moradores, que a alimentavam com leite. Foi amor à primeira vista. Em menos de meia hora, ela já era rainha aqui em casa. A rainha Frida.

Escolhi esse nome por dois motivos. O primeiro é que quando eu era pequena, tinha (e ainda tenho) um livro chamado “Frida e a Hora do Jantar” que conta a história de uma gatinha cinza que não queria jantar, só pensava na sobremesa. O segundo motivo foi a Frida Kahlo, artista plástica mexicana que admiro. Mais tarde, descobri que a personalidade da Frida era bem parecida com a teimosia da Frida (do livro) e com a força da Frida Kahlo.

livro

fridão

Seu reinado foi lindo, cheio de regalias, brincadeiras, carinhos, miados noturnos, água fresca, comida gostosa, cama quentinha (com direito a um gato de pelúcia chamado Diego Rivera) e uma boa dose de mau humor.

fridam

Na semana passada, a Frida me anunciou uma mudança. Uma mudança drástica, mas segundo ela, necessária. É que o seu reinado precisava ser transferido. Então, Frida fez suas malinhas, se despediu de nós e foi para o céu, brilhar com sua coroa de rainha, a mais linda e dourada de todas.

*

Ontem encontrei no meu caderno de rascunhos um texto que escrevi no ano passado, sobre a minha constante dúvida em relação à origem da Frida:

” Frida, de onde você veio?

Do chão quente, seco e escuro? Da garagem de um prédio qualquer?

Mas como você foi parar naquela garagem?

Dormia num carro? Dentro do carro? Fora do carro?

Não, impossível…Já sei!

Apertou o ‘T’ de térreo, entrou no elevador e desceu no jardim.

Brincou no jardim, dormiu na grama, caçou borboletas e respirou o ventinho.

Cansou.

Cansada, queria sombra.

Achou a garagem e encontrou abrigo embaixo de um carro.

Mas, se pegou o elevador, abriu a porta do apartamento.

Por rebeldia ou por atrevimento?

Espere um momento. E se você não morava em nenhum apartamento?

E se…tivesse saído pela noite, à procura de um amor?

Mas para onde deveria voltar?

Frida, você tinha casa? Caminha quentinha e comida na hora certa?

Quem era seu dono? Você tinha dono?

De onde você veio Frida, conta pra mim, só pra mim…

Quando te olho, te afago, te beijo e te abraço, sinto bem lá no fundo do meu coração que você nunca vai me contar de onde veio. Mas não importa. Seja de onde for, como foi e por que, você está aqui. Você veio pra mim. “

quadrinho

Quadrinho que fiz da Frida, para enfeitar minha cozinha

*

Ausência

Por muito tempo achei que a ausência é falta.

E lastimava, ignorante, a falta.

Hoje não a lastimo.

Não há falta na ausência.

A ausência é um estar em mim.

E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,

que rio e danço e invento exclamações alegres,

porque a ausência assimilada,

ninguém a rouba mais de mim.

Carlos Drummond de Andrade

018a

Para sempre Frida

Tags: amor , Frida , gatos ,

25 comentários Comentar

  1. Owwwn que lindinha.Esse nome é uma fofura! A ilustra deve estar enfeitando muito sua cozinha o

    http://www.chadecalmila.com

    Responder
  2. Ha e só para avisar! Lhe seguindo… bjoos

    Responder
    1. Sim Camila, a ilustração enfeita e me faz lembrar da Frida, sempre <3
      Obrigada por me seguir! Beijos :)

      Responder
  3. Carla

    Puxa, Alice, sinto muito pela partida da Frida! Ela deve ter sido mesmo uma grande amiga. Sei disso pois também tenho um gatinho que é um amor. O tempo em que ela esteve ao seu lado foi muito feliz, então, guarde essa alegria pra sempre no seu coração!
    Beijos!

    Responder
    1. Com certeza a Frida foi uma grande amiga. Guardarei as boas lembranças para sempre. Obrigada pelas palavras, Carla! Beijos :)

      Responder
  4. angelica mantellatto

    Minhas queridas sempre! Vc, Frida e Ameli.

    Responder
    1. Te amo <3

      Responder
  5. Anna Maria

    Lindo texto, chorei aqui. Tenho uma gata que como a sua Frida apareceu aqui em casa, entrou e não saiu mais e ainda me deu mais 3 gatinhos Lola, Lili e Mendonça, eles fazem uma diferença grande na vida da gente e meu coração aperta só de pensar que um dia eles podem partir (como todos nós, mas enfim…) mas a recordação dos dias felizes que passamos juntos é sempre recompensadora. Meus sentimentos pela sua perda.
    Um abraço.
    Anna Maria

    Responder
    1. Com certeza, Anna Maria, os gatinhos são animais muito especiais em nossas vidas. Eu ainda tenho a Amelie, mas sei que a Frida é insubstituível. A vida tem dessas coisas, chegadas e partidas, que acontecem independentemente da nossa vontade. Temos que aproveitar muito a companhia dos nossos gatinhos, pois toda alegria que eles nos trazem, superam as dores da despedida. Grande beijo e obrigada pelo comentário <3

      Responder
  6. Alice, sinto muito, sei como você amava a Frida, e sei também como é ruim perder um grande amiguinho. Meu cachorro morreu no começo do ano, e até hoje não aceitei direito. Mas a vida é assim, e tenho certeza que a Frida está brilhando mesmo com a coroa mais brilhante! Beijão, e forças.

    Responder
    1. Oi Bia! Para mim ainda é difícil aceitar, pois hoje faz uma semana, apenas. É um amor muito grande e ficamos meio perdidas quando ele se desmaterializa.
      Mas ela estará comigo para sempre, assim como o seu cachorro querido está com você. Grande beijo <3

      Responder
  7. Tati

    Que lindo, Alice, chorei…! Também tenho uma Frida, tricolor, de um ano e meio, minha razão de viver! Mas quem apareceu no meu caminho foi a Pagu, no ano passado, no meio da rua. E vire e mexe eu olho pra carinha dela e faço as mesmas perguntas que vc fazia pra sua Frida, mas nunca vou saber de onde ela veio, como vivia…
    Torço pra que as boas lembranças dela sejam mais fortes do que a dor dessa perda!

    Bjs!

    Responder
    1. Oi Tati! Obrigada pela sua mensagem tão linda!
      O amor que sentimos pelos nossos gatinhos não tem tamanho e nem dá para explicar…Só mesmo os donos e seus gatos é que sabem o quanto esse amor é fundamental e infinito. Nunca saberemos de onde elas vieram (Frida e Pagu), não é mesmo? Mas o que importa é que elas apareceram em nossas vidas, deve ter um significado.
      Grande abraço para você, Frida e Pagu <3

      Responder
  8. Tomamos a liberdade de postar link em nossa fanpage https://www.facebook.com/ProjetoMonah

    Responder
    1. Obrigada :)

      Responder
  9. Jussara Helena Camargo

    Eu, e Lara ficamos tristes, com a partida da Frida!!!!!
    Um beijo carinhoso para você!!!

    tchau!!

    Responder
    1. Obrigada pelo carinho Jussara! Beijos pra você e Lara!

      Responder
  10. Aline

    Chorei… <3

    Responder
    1. <3

      Responder
  11. Paulo

    <3

    Responder
    1. <3 <3

      Responder
  12. que coisa mais linda, Alice!!! Tô encantada com vc!
    Muito lindo e sensível seu texto. Acabei de perder 2 dos meus gatos… foram envenenados…
    Aposto que Frida foi muito feliz! <3

    Responder
    1. A gente se apaixona tanto por esses animais encantadores que parecem ser indispensáveis e insubstituíveis. Sinto muita saudade da Frida e até hoje tenho que me controlar pra não ficar triste. Nossa, sinto muito pelos seus dois gatinhos. Não entendo como possa existir pessoas tão cruéis a ponto de fazer isso com animais tão carinhosos…Mas com certeza eles estão bem, brincando e fazendo companhia pra minha Frida <3 Muitos beijos!

      Responder
  13. Camila

    Encontrei esse blog sem querer e chorei ao ler o texto. Sua Frida é igual a minha Bebê. Ela tb foi resgatada.

    Responder
    1. Oi Camila!
      Nossos gatos são como bebês mesmo. Sinto muita saudade da Frida…
      Que bom que você e sua gatinha se encontraram <3

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *