Pessoal, por Alice

Fotografia de 1 minuto

Quando o vento decide passar, não pede licença nem permissão, vai mexendo as folhas das árvores, balançando as roupas presas no varal e os cabelos das moças. A borboleta é tão leve que acaba sendo puxada pelo vento. E a flor que acaba de deixar, chama por um novo morador, desta vez um beija-flor, sombra inquietante.

Texto que escrevi em 29 de setembro de 2005, no meu caderninho/diário.

 

 

4 comentários Comentar

  1. Que amor…
    Lindo texto!

    Tenha uma boa semana!

    Responder
    1. Obrigada Fabi! Boa semana pra você também <3

      Responder
  2. Que linda mensagem… voei longe, junto com o vento!!
    Agradecida por dividi-la conosco. bjs

    Responder
    1. Obrigada, Andréa! Fico feliz que tenha gostado do texto :)
      Antigamente eu carregava um caderninho na bolsa e para registrar meus pensamentos.
      Acho que preciso de um caderninho novo, para continuar escrevendo!
      Beijos <3

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *